quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

RAD - RESOLUÇÃO ADEQUADA DE DISPUTAS

RAD - RESOLUÇÃO ADEQUADA DE DISPUTAS

EMENTA DO CURSO

MATERIAL DA AULA DO DIA 09/02/2017


TRABALHO (CLIQUE VÍDEO)

(CLIQUE E ASSISTA NO YOUTUBE


video


  • APÓS ASSISTIR
  • AVALIAR O QUE FALTOU NA RELAÇÃO DO CASAL.

Revisão para P1 – RAD



1) Conceitue negociação.

  • "Negociação é um processo de comunicação bilateral, com o objetivo de se chegar a uma decisão conjunta“ (FISHER, 2005).
  • “É um meio básico de se conseguir o que se quer de outrem” (FISHER, 2005).
  • "Negociação é um processo de comunicação interativo estabelecido quando duas ou mais partes buscam um acordo, durante uma transação, para atender a seus interesses“ (GUIRADO, 2008).
  • "Negociação é o uso da informação e do poder com o fim de influenciar o comportamento dentro de uma rede de tensão". (COHEN, 1980).



2) Em relação a qualificação do negociador, quais são os tipos de negociação?
  • Técnica ou Intuitiva
3) Em relação a abordagem, quais os tipos de negociação?
  • Competitiva ou Colaborativa
4) Defina negociação competitiva.
  • Barganha de posições. Objetivo de vencer uma disputa. Os ganhos devem ser unilaterais. Não se preocupa com os interesses.
  • Na negociação competitiva, cada um dos lados busca a satisfação de seus próprios interesses, sendo utilizado, via de regra, o poder e a agressividade como ferramentas específicas durante o processo.
  • As partes negociam e trabalham buscando os próprios interesses buscando objetivos particulares de forma que os ganhos sejam o troféu na disputa, sendo utilizado, via de regra o poder e a agressividade como ferramentas durante o processo.
5) Quais os perigos da negociação competitiva?
  • Como nesse tipo de negociação o objetivo é vencer uma disputa e visando ganhos unilaterais, torna o processo penoso e esse antagonismo que gera raiva, indignação, ressentimentos e desgaste emocional, pode iludir os negociadores fazendo-os perder o foco do objeto da negociação.
6) Defina negociação colaborativa.
  • Nesse tipo de negociação é defendida a tese de que as partes negociam e trabalham em busca de um objetivo comum em que, de alguma forma, os ganhos sejam auferidos por todos os envolvidos.
7) Quais os quatro princípios informadores do método de negociação colaborativa da Escola de Harvard?
  • Separe as pessoas do problema;
  • Concentre-se nos interesses das partes;
  • Invente opções de ganhos mútuos; e
  • Insista em critérios objetivos.
8) Apresente um texto sobre as consequências da não observância do princípio separe as pessoas do problema durante uma negociação.
  • É necessário lembrar que negociadores são pessoas, com sentimentos, angústias, medos, preconceitos e interesses pessoais, mesmo quando representando uma outra pessoa, uma empresa, um Estado, ou um grupo qualquer. Em qualquer negociação, sempre há dois interesses fundamentais em jogo: 
      • a substância do que está sendo negociado e
      • a relação com a outra parte negociadora. 
  • Assim, é necessário separar a relação entre os negociadores do problema que está sendo discutido. Para isso, 3 fatores são dignos de atenção:
      • a percepção, 
      • a emoção, e 
      • a comunicação.
  • Na percepção, é necessário se pôr no lugar da outra pessoa, e fazer um exercício de reflexão sobre o que move a outra parte a se comportar de uma determinada maneira. Na emoção é importante levar em consideração suas emoções e as da outra parte, explicitando-as e reconhecendo a legitimidade das do outro negociador. Na comunicação, uma das coisas mais importantes numa negociação é demonstrar à outra parte que se está interessado no que ela tem a dizer.
9) Cite três mecanismos para melhorar a percepção durante uma negociação.
  • Ponha-se no lugar do outro, ou seja, na medida do possível deve-se tentar experimentar as visões da outra parte e perceber empaticamente o poder do ponto de vista de quem queremos influenciar.
  • Discuta as percepções de cada um.
  • Não deduzir a intenção dos outros a partir dos seus próprios medos.
  • Não culpar o outro pelos seus problemas. Ainda que a atribuição da culpa seja justificável ela é contraproducente no campo da negociação.
  • Busque oportunidades para agir de maneira contraditória às percepções do outro.
  • Evite a desconfiança. Dê a outra parte um interesse no resultado certificando-se de que ela participa no processo.
10) Cite três mecanismos para utilizar positivamente a emoção durante uma negociação.
  • Reconheça e compreenda tanto as emoções do outro quanto as suas.
  • Explicite as emoções e reconheça-lhes a legitimidade.
  • Deixe que o outro desabafe. As pessoas tem uma descarga psicológica quando desabafam e relatam suas queixas (nem sempre é recomendável)
  • Não reaja às explosões emocionais.
  • Use gestos simbólicos. Atos capazes de produzir um impacto emocional construtivo. A desculpa é um investimento menos dispendioso mais que produz um resultado altamente recompensador.
11) Cite três problemas frequentes na comunicação durante uma negociação.
  • Os negociadores não falam com o objetivo de serem compreendidos.
  • Mesmo quando se fala direta e claramente com o outro, talvez ele não escute
  • Mal entendidos

12) Disserte sobre as técnicas para melhorar a comunicação.
  • Escute ativamente e registre tudo que está sendo dito.
  • Fale para ser entendido
  • Fale sobre você mesmo e não sobre o outro.
13) Apresente uma descrição sobre o segundo princípio do método colaborativo da Escola de Negociação de Harvard abordando uma das técnicas para sua obtenção.
  • Concentrar-se nos interesses e não nas posições. Esse é o segundo príncípio da Escola de Negociação de Havard. Identificar os interesses parece ser o ponto chave nessa etapa. Pensar nas escolhas das partes envolvidas também é um caminho. Não obstante, interesses opostos podem propiciar um terreno fértil para alcançar o acordo. Enfim, reconhecer os interesses e problemas de cada envolvido como parte do problema.
14) Cite dois obstáculos à invenção de opções criativas numa negociação e as respectivas soluções.
  • Julgamento prematuro
  • Busca de uma resposta única
  • Pressuposição de um bolo fixo
  • Pensar que resolver o problema deles é problema deles
  • Pensar que as propostas para a resolução do conflito são vinculativas
15) O que são critérios objetivos?
  • São critérios formadores de consenso em relação a padrões e procedimentos justos pelas partes em uma negociação.
16) Quais são os diplomas legais que tratam da mediação no Brasil?
  • Novo Código de Processo Civil e
  • Lei 13140/15
17) Conceitue mediação de conflitos.
  • Atividade técnica exercida por terceiro imparcial sem poder decisório, escolhido ou aceito pelas partes, as auxilia na construção de soluções para a controvérsia.
18) Explique os princípios da voluntariedade.
  • Princípio previsto na lei de mediação (13140/15) mas não há previsão no CPC/15.
  • Ninguém será obrigado a permanecer em procedimento de mediação.
  • Reconhece o direito das partes participarem livremente do procedimento e de um possível acordo alcançado no mesmo.
19) Explique o princípio da autodeterminação
  • Reconhece a garantia das partes determinarem o resultado do procedimento e das questões intercorrentes.
20) Explique o princípio da confidencialidade.
  • Consiste no dever das partes, do mediador e de sua equipe, em guardar sigilo a respeito das informações ventiladas no procedimento inclusive da identidade das partes.
21) Explique o princípio da Imparcialidade.
  • O mediador não pode, a partir de um juízo de valor, conduzir a sessão de mediação tomando partido de uma das partes, ou seja, ele não poderá conduzir o diálogo que de alguma forma favorecerá uma parte em detrimento da outra.
  • O mediador não pode, a partir de um juízo de valor, tomar partido de uma das partes, ou seja, conduzir a mediação favorecendo ou beneficiando uma das partes em detrimento da outra.
22) Aponte a diferença de atuação do mediador e do conciliador.
  • O conciliador atuará, preferencialmente, nos casos em que não houver vínculo anterior entre as partes e poderá sugerir soluções para o litígio.
  • O Mediador atuará em litígios onde há vínculo anterior entre os envolvidos e não poderá sugerir soluções para o conflito, mas antes, poderá auxiliar aos envolvidos, através do restabelecimento dacomunicação, a descobrirem por si mesmos a solução que gere benefícios mútuos.
23) Princípio da Isonomia
  • As partes tem de ser tratadas de maneira igualitária.
24) Princípio da Oralidade
  • Determina que nas sessões de mediação os atos sejam preferencialmente realizados de forma oral. Todavia, este princípio não veda a utilização de outros meios tal como a forma escrita e libras.
25) Princípio da Informalidade
  • Não há nenhuma forma exigível para o procedimento e este deverá se amoldar ao contexto social onde é desenvolvido.
27) Princípio da Independência
  • Tem o propósito de garantir a imparcialidade daquele que conduz a sessão, ou seja, afastar qualquer tipo de pressão externa sobre a atividade do mediador.
28) Princípio da Decisão Informada
  • Afirma o direito das partes na obtenção de informações acerca do procedimento de mediação e quando necessário, acerca de seus direitos, opções e recursos relevantes que possam ser interpostos antes e durante o procedimento.
29) Princípio da Boa fé
  • As partes e o mediador devem guardar a ética e a probidade durante o procedimento.



              


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.