segunda-feira, 18 de setembro de 2017

ECONOMIA POLITICA - RESUMO TA1

A EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ECONÔMICO

  • Economia Política - É a ciência que estuda a atividade humana e suas relações entre a satisfação das suas necessidades em condições de escassez de recursos.
  • Por óbvio que vivemos num mundo onde os meios que se utilizam para se alcançar determinado fim, são escassos. Pois se não, os fins estariam definitivamente alcançados e portanto não haveria ação. Por certo, as necessidades existem e na certeza de há um meio para se alcançar determinada satisfação, o indivíduo entra em atividade.

  • Antiguidade: a atividade econômica era tratada e estudada como parte integrante da FILOSOFIA social, moral e ética. 
  • Mercantilismo (1450 – 1750):  Os pensamentos dessa época era baseado em princípios de como fomentar o comércio exterior e entesourar riquezas. 
  • Fisiocracia (1760 – 1770): doutrina da Ordem Natural: o Universo é regido por leis naturais, planejadas pela providência Divina para a satisfação e felicidade dos homens.
  • Quesnay: Evidenciou a interdependência entre a natureza e as atividades econômicas

  • Adam Smith (1723 – 1790): A livre concorrência levaria a sociedade à perfeição uma vez que a busca do lucro máximo promove o bem-estar da comunidade. A causa da riqueza é o trabalho. 
  • Thomas Malthus (1766 – 1834): Para ele, o excesso populacional era a causa de todos os males da sociedade. Subestimou a tecnologia.
  • David Ricardo (1772 – 1823): Mostrou as interligações entre expansão econômica e distribuição de renda.
  • John Stuart Mill (1806 – 1873): introduziu na economia preocupações de “justiça social” 
  • Jean Baptiste Say (1768 – 1832): deu atenção especial ao empresário e ao lucro; a oferta cria a demanda.
  • Karl Marx (1818 – 1883): problema dos detentores dos meios de produção; exploração da mão-de-obra humana; lucro sobre o trabalhador; mais-valia. A consequência do trabalho é a riqueza.
  • Alfred Marshall (1842 – 1924): Considerava a economia como estudo do comportamento humano e não ciência da riqueza. 
  • O Entre-guerras: Após a primeira guerra mundial a Alemanha perde a guerra e é assolada por pesados impostos e condenada a reparações.
  • A Inglaterra e França, vitoriosas, seguem caminhos diferentes.

  • Os Estados Unidos mergulham na crise de 1929.

  • A recuperação Alemã e a ascensão de Hitler.

  • Instabilidade na Europa.

  • Surge o Keynesianismo, fundado num pensamento contrário às concepções neoliberais e aliada à afirmação do Estado como agente controlador da Economia.

  • Todavia juntamente com o controle estatal seguia em paralelo, como ônus, a atuação como provedor social com o direito e dever de conceder benefícios sociais garantindo à população um padrão mínimo de sobrevivência como a criação do salário mínimo, assistência médica, salário desemprego e uma regulação digna nas leis trabalhistas visando o trabalhador.
  • Por isso o Keynesianismo ficou conhecido como Estado de Bem estar social.
  • Keynes foi o criador da macroeconomia.
  • Para Keynes a ciclo econômico não pode se autorregular tendo em vista o espírito animal dos empresários na manutenção do ciclo. 
  • Keynes sabia da ineficiência do sistema capitalista e por isso defendia a intervenção do Estado na Economia. (Só não sabia que fazendo isso estaria dando a chave da geladeira para o rato. kkkkk - grifo meu.
  • Keynes, em 1944, participou dos primeiros momentos da criação do BIRD e do FMI
  • Com o fim da segunda guerra mundial, a necessidade de recuperação dos países destruídos pelo evento fez aumentar a ideologia de intervenção estatal, corrente essa denominada Welfare State (traduzindo para o tupiniquim: "Estado do Bem Estar". 
  • EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ECONÔMICO APÓS KEYNES 
    • Monetaristas: baixa intervenção do Estado, preocupação com a saúde da moeda, neo-liberais. 
    • Fiscalistas: alta intervenção do Estado, recomendam uso de políticas fiscais ativas. 
    • Pós – Keysenianos: enfatizam o papel da especulação financeira, defendem o papel ativo do Estado na condução da atividade econômica. 
    • Teoria das Finanças (1970): controle e planejamento macroeconômico, técnicas econométricas, conceitos de equilíbrio de mercados e hipóteses sobre o comportamento dos agentes econômicos.
  • Por que estudar Economia?
    • Para se ter uma compreensão crítica da realidade econômica
    • Utilizar a teoria da ciência nas atividades de gestão.
  • Por que é difícil de entender?
    • Linguagem
    • Estrangeirismos
    • Instrumento especifico.
  • Por que é controversa?
    • Inúmeras variáveis
    • Conflito de interesses
    • Difícil prever o futuro quando se tem o social ou o comportamento humano como variável
  • Visão neoclássica
    • A relação social com a economia se dá através de seus agentes individuais, por escolhas individuais.
    • Cada indivíduo age na direção de sua satisfação e no processo faz uma operação interna e secreta avaliando subjetivamente custos e benefícios.
    • A escolha é uma atividade inerentemente humana e estará presente em todos os sistemas econômicos.

  • Economia Política é a ciência que estuda e define leis inerentes as relações sociais de produção, circulação e distribuição de bens materiais.

  • Ciência Econômica é a ciência da escassez. Estuda as formas de se administrar os recursos escassos e distribuí-los para o consumo entre os membros da sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.